Química dos Óleos Essenciais e Número CAS

Escrito por Wagner Azambuja

 

Óleos Essenciais

 

Quimicamente falando, os óleos essenciais são formados por estruturas de terpenos, sesquiterpenos, fenólicos, fenilpropanoicos, alifáticos não terpenos, heterocíclicos; e funções químicas de alcoóis, cetonas, aldeídos, ácidos carboxílicos, ésteres, óxidos, acetatos e vários outros – quase sempre apresentando uma mistura bastante complexa entre esses elementos. Por exemplo, o óleo essencial de rosas possui cerca de 300 componentes, cada qual com a sua característica e ação bioquímica no organismo humano. Isto explica, em partes, porque um determinado óleo pode agir contra um fungo da unha do pé e, ao mesmo tempo, atuar como antidepressivo e calmante. No entanto, alguns resultados só são alcançados por meio da sinergia entre esses componentes. Ou seja, eles dependem da interação do todo, desde os elementos que estão em maior proporção no óleo, chamados de “ativos majoritários”, como dos que estão em menor proporção. Pesquisas indicam que o timol, ativo majoritário do óleo essencial de tomilho, não possui a mesma eficiência do óleo contra algumas espécies de bactérias – mesmo sendo ele (o timol) um poderoso anti-séptico. E isto se repete para vários outros óleos e seus ativos, embora, é claro, não seja uma regra.

 

Estrutura-base dos Óleos Essenciais e Terpenóides

 

Voltando à química, a estrutura-base dos óleos essenciais são os monoterpenos, que apresentam 10 átomos de carbono, e os sesquiterpenos, com 15. Assim o timol, de fórmula molecular C10H14O, é um monoterpeno. Já o bisabolol, da camomila alemã e que apresenta fórmula C15H26O, é um sesquiterpeno. E não é só, afinal, esses componentes ainda são classificados de acordo com diversos outros atributos, como por exemplo: o timol é um fenol (ácido carbólico) porque apresenta em sua estrutura uma hidroxila (-OH) ligada a um anel aromático. E o bisabolol é um álcool devido à mesma hidroxila, mas desta vez unida a um átomo de carbono saturado. Complicado? Talvez a primeira vista. Os terpenóides constituem uma grande variedade de substâncias vegetais, sendo que este termo é empregado para designar todas as substâncias cuja origem biossintética deriva de unidades do isopreno (que se origina a partir do ácido mevalônico). Os compostos terpênicos mais freqüentes nos óleos essenciais são os monoterpenos, presentes em cerca de 90% dos óleos, e os sesquiterpenos – onde os monoterpenos são, ainda, divididos em três subgrupos: acíclicos (mirceno, linalol, geraniol), monocíclicos (alfa-terpineol, terpinoleno) e bicíclicos (alfa-pineno, tujona, cânfora, fenchona). (*) outros terpenóides, como os diterpenos, são encontrados apenas em óleos essenciais extraídos com solventes orgânicos.

Timol_Bisabolol

No geral, os sesquiterpenos obedecem à fórmula C15H24, podendo ser cíclicos ou ramificados. São substâncias líquidas, relativamente pouco estáveis, com altos pontos de ebulição, pequenas tensões de vapor e que são isoladas com dificuldade pelo processo de destilação pelo vapor de água.

CAS (Chemical Abstracts Service)

 

Com o objetivo de facilitar a busca de informações sobre um determinado elemento químico, como um óleo em específico e todos os seus componentes, surgiram diversos recursos. Dentre eles, o CAS (Chemical Abstracts Service) sem dúvida é um dos mais interessantes, afinal ele se refere ao “número de identidade” de qualquer substância química, pura ou composta, oficialmente registrada. Isto significa que todo constituinte químico de um óleo essencial possui um CAS, assim como o próprio óleo. O CAS do óleo essencial de tomilho, por exemplo, é 8007-46-3 e do timol 89-83-8. Isto ajuda, e muito, pois com um simples número podemos obter instantaneamente, na internet, a ficha completa de qualquer elemento.

 

Conclusão

 

Os óleos essenciais fazem parte de um universo tão cheio de minúcias que detalhá-lo por completo seria uma tarefa praticamente impossível para um artigo de poucas linhas como esse. Por exemplo: seriam necessárias páginas e páginas para listar e expor todas as propriedades físico/químicas dos mais de 300 componentes do óleo essencial de rosas. Assim como explicar o porquê de todas as funções orgânicas. Então, a ideia aqui só foi mostrar que os óleos essenciais são uma mistura complexa de diversos elementos. Há aldeídos, alcoóis, fenóis, ésteres, cetonas e vários outros, todos com as suas próprias características e particularidades. E que de posse de um simples número é possível obter uma série de informações sobre qualquer substância – o que pode ser o “ponto de partida” no estudo dos óleos essenciais e seus componentes.

(*) o CAS, ou número CAS, possui três partes: a primeira tem até seis algarismos, a segunda até dois e a terceira apenas um (número de controle) – que são atribuídos sem nenhum critério;
(*) existe o que se domina de “nanopolifarmassinergia”, ou seja, a presença de pequeníssimas quantidades de certos componentes, na ordem de nanogramas (0,000000001g), que apresentam ação terapêutica quando estão na presença de outros elementos em maior concentração, em sinergia com a totalidade dos componentes do óleo essencial.

Showing 9 comments
  • maria de lourdes g. silva
    Responder

    Nao encontro o óleo especial tourangi, que ouvi falar no programa bem simples, podem me indicar onde aki em bh

  • Wagner Azambuja
    Responder

    Maria, bom dia.
    A toranja, Citrus x paradisi, também é conhecida por grapefruit, que é o nome mais comum no caso dos óleos essenciais. P/ adquiri-lo, clique em comprar óleos essenciais, lá na parte superior da página, ok? Grande abraço.

  • carlos lapique
    Responder

    obrigado.

  • Maisa Carolina
    Responder

    Ola, tenho disidrosis alergica, no teste de alergia deu positivo para acido benzoico, dai o medico expolicou para mim que esta presente nos oleos essenciais, eu queria saber si esta em todos eles o tem algum que eu possa usar para idratar a pele que com tanto tratamento com corticoides esta resseca. Obrigada.

  • Edivan Guimaraes
    Responder

    Florais de Bach e Oleos essenciais tem o mesmo objetivo ou são coisas diferentes? Grato

  • Emerson
    Responder

    Tenho interesse em investir em extração de oleo de citronela, vou precisar de equipamentos, mas gostaria de saber se vocês possuem estudos de rentabilidade, de quantos litros de oleo rende 01 ha plantado,
    Grato

  • Sebastiao Brum
    Responder

    Olá, boa noite. achei interessante em saber que existe loca de vendas de oleos e essencias vegetais. Mas estou mesmo é pesquisando sobre as unidades terpenicas do Farnesol, Esqualeno, Limoneno, Biraboleno vitamina A e Bixina?
    E faço uma pergunta ousada: É rentavel montar uma microempresa para destilar esses oleos? E ainda há processos industriais na ordem de microempresas, e oque preciso?

  • Larissa Souto
    Responder

    Gostaria muito de saber mais sobre o óleo de girassol não encontrei ele aqui.. meu e-mail: larissaamalara@gmail.com

  • Telma R. Pereira
    Responder

    Óleos essencias são extraidos das plantas por destilação e outros metodos. Funcionam porque tem principios quimicos, ativos. Tem indicação muito clara em tratamentos desde que respeitadas determinadas regras, verificadas posologia e contra indicação. Tambem podem ser usados de acordo com a vibração energética.
    Florais de Bach são “extraidos” das flores através de “solarização” da água cristalina e das flores, colhidas segundo princípios do Dr. Bach (Florais de Bach) ou de escolas diferentes. Funcionam por vibração. Ou seja, os sintomas regridem quando o Floral recomendado tem sintonia com o que precisa ser equilibrado (raiva, tristeza, apego, fobia e uma série de outros sintomas)
    São tratamentos complementares indicados por terapeutas qualificados e atualmente tem estudos cientificos que atestam sua efetividade. Muitos medicos, dentistas já utilizam seus princípios.

Deixe um comentário