Curso de Óleos Essências e Aromaterapia

Óleo de Amêndoas Doce e seus Benefícios

Óleo Vegetal de Amêndoas Doce

NO ATACADO: em torno de USD 44,00 /L | Verificar a
disponibilidade: (42) 99981 0808 ou (42) 99114 0808

Nome

Nome

Óleo de Amêndoas Doce / Sweet Almond Oil

Nome Científico

Nome Científico

Prunus amygdalus
var. dulcis

Componente de Destaque

Componente de Destaque

Ácido Linoleico,
Oleico e Vit. E

Descrição

Descrição

Líquido oleoso amarelado de odor suave.

Principais Aplicações

Principais Aplicações

O óleo de amêndoas doce é um dos mais conhecidos óleos vegetais em razão de sua propriedade hidratante (da pele) e por sua comprovada capacidade em atenuar e prevenir estrias durante a gestação. Na aromaterapia, também é indicado para aliviar os sintomas de queimaduras superficiais, melhorar o aspecto da pele ressecada/rachada e atuar como coadjuvante nos tratamentos contra dermatoses, eczemas e psoríases.

Escrito por Wagner Azambuja
Curso de Aromaterapia

Óleo de Amêndoas Doce e seus Benefícios

A amendoeira, Prunus dulcis (Miller) D. A. Webb (Amygdalus cummunis L.) é uma Rosáceas-Prunóideas arbórea, de origem asiática, naturalizada e cultivada usualmente na região mediterrânea, a qual foi introduzida na Europa pelos gregos nos séculos V ou VI a.C. Ela pertence à família “Rosaceae”, a mesma de muitas outras árvores frutíferas, tais como pessegueiros, macieiras, ameixeiras e cerejeiras. Afirma-se, inclusive, que a amendoeira e o pessegueiro (seu parente próximo) evoluíram das mesmas espécies ancestrais do centro-sul da Ásia. De acordo com Castro (1999) em “Los aceites em cosmética”, a amendoeira é uma árvore pequena, que cresce entre 4 a 10 metros. Seus frutos são drupas ovoides, deiscentes na maturação cujo endocarpo lenhoso forma um caroço que se encerra numa única semente, a famosa “amêndoa“. Dentre as amendoeiras, tem-se a do tipo “sweet” ou “doce” a qual provém da variedade comestível Prunus amygdalus var. dulcis – bastante cultivada nos EUA (Califórnia), Espanha, Itália, Portugal e Irã. É desta variedade que se obtém, por prensagem a frio ou solventes, o “óleo de amêndoas doce“, talvez um dos óleos vegetais mais conhecidos em razão do seu histórico como hidratante da pele e por sua capacidade em atenuar e prevenir estrias durante a gestação.

Composição do Óleo de Amêndoas Doce e Propriedades

Quimicamente, de acordo com a Physical and Chemical Characteristics of Oils, Fats and Waxes (AOCS), o óleo vegetal de amêndoas doce [CAS 8007-69-0] é rico em ácido oleico (Ω-9), o qual contém entre 43 a 70% deste ácido graxo monoinsaturado. De acordo com Santos e colaboradores (2013) em “I Diretriz sobre o consumo de gorduras e saúde cardiovascular”, o ácido oleico é um tipo de ômega 9 de cadeia longa que, no organismo humano, desempenha um importante papel na síntese de hormônios, como estrogênio e testosterona – o que implica na saudável manutenção das características sexuais masculinas e femininas. Também, o Ω-9 é co-responsável pela formação das membranas das células e, ainda, possui um importante papel no transporte e absorção das vitaminas A, D, E e K, que são lipossolúveis. Além do Ω-9, o óleo de amêndoas doce também contém entre 20 e 35% de ácido linoleico (Ω-6), um ácido graxo poliinsaturado que está entre os “ácidos graxos essenciais“, afinal, ele não é produzido pelo organismo humano e precisa ser inserido através da dieta, pois trata-se de uma “gordura boa”. Ao ser ingerido, dentre outros benefícios, este Ω-6 ajuda no controle do colesterol e da hipertensão arterial, entretanto, o seu consumo desiquilibrado (pelo excesso) deve ser evitado. Por fim, dos ácidos graxos, este óleo ainda contém entre 4 a 13% de ácido palmítico, um ácido graxo saturado, e de 1 a 10% de ácido esteárico, outra gordura saturada que auxilia na redução dos níveis de LDL (colesterol ruim) e no aumento de HDL (colesterol bom). No que se refere as vitaminas, o óleo vegetal de amêndoas doce é rico em vitamina E, um dos antioxidantes mais utilizados pelas indústrias de cosméticos multifuncionais, pois, dentre suas propriedades, ela é capaz de reduzir os danos causados pelas espécies reativas de oxigênio – radicais livres que possuem relação direta com diversos problemas de pele, como queimaduras solares, fotoenvelhecimento e hiperpigmentação. Já em quantidades menores (traços), este óleo também contém vitaminas A, D e do complexo B.

Conforme já exposto, o óleo de amêndoas doce é um dos mais conhecidos óleos vegetais em razão de sua propriedade hidratante (da pele) e por sua comprovada capacidade em atenuar e prevenir estrias durante a gestação. Estudos demonstram que este óleo também é capaz de aliviar os sintomas de queimaduras superficiais, melhorar o aspecto da pele ressecada/rachada e atuar como coadjuvante nos tratamentos contra dermatoses, eczemas (inflamações cutâneas) e psoríases. Isto é ocorre, em grande parte, por conta dos ácidos graxos insaturados (Ω-6 e Ω-9) e da vitamina E presentes neste óleo. Afinal, estes ácidos exercem fundamental importância nos processos de manutenção e integridade cutânea. Eles são os precursores das prostaglandinas e leucotrienos a partir da síntese do ácido araquidônico, que, na sequência, acabam por integrar os fosfolipídios das membranas celulares. Estes fosfolipídios, então, intervêm no processo de fosforilação, na mitose, organização celular e nos intercâmbios iônicos, estruturando-os e organizando-os. Ou seja, estes dois ácidos graxos ajudam na boa manutenção dos processos biológicos que mantêm a “saúde” das camadas que compõem a pele. No caso das lesões, sabe-se que o ácido graxo linoleico (Ω-6), conforme Ferreira (2012) em “Utilização dos ácidos graxos no tratamento de feridas: uma revisão integrativa da literatura nacional”, exerce um importante papel quimiotáxico para macrófagos, sendo fundamental na expressão de componentes do sistema fibrinolítico para a regulação da produção de colagenases (responsáveis por limpar as áreas lesadas). Além disso, favorece o desbridamento autolítico no leito da ferida por contribuir com a produção de metaloproteínas na indução da granulação. Isto explica, por exemplo, os bons resultados quando da aplicação tópica do óleo vegetal de amêndoas doce em queimaduras, alergias, eczemas e psoríases. Por fim, ainda tem os benefícios da vitamina E, que é um excelente antioxidante natural de rápida absorção que deixa a pele com um aspecto mais sedoso, elástica e jovem. Tudo isto, é claro, sem torna-la gordurosa.

O óleo de amêndoas doce é um dos mais conhecidos óleos vegetais em razão de sua propriedade hidratante (da pele) e por sua comprovada capacidade em atenuar e prevenir estrias durante a gestação. Na aromaterapia, também é indicado para aliviar os sintomas de queimaduras superficiais, melhorar o aspecto da pele ressecada/rachada e atuar como coadjuvante nos tratamentos contra dermatoses, eczemas e psoríases.

Vitamina E

A vitamina E natural, também conhecida por d-α-tocoferol, é um dos antioxidantes mais utilizados pelas indústrias de cosméticos multifuncionais, pois, dentre suas propriedades, ela é capaz de reduzir os danos causados pelas espécies reativas de oxigênio – radicais livres que possuem relação direta com diversos problemas de pele, como queimaduras solares, fotoenvelhecimento e hiperpigmentação. Em outras palavras, ela consegue neutralizar estes radicais, captando moléculas de oxigênio singleto e superóxidos. Por esta razão, a vitamina E é um dos ingredientes “antipoluição” mais cobiçados da atualidade. Seus ésteres, inclusive, espalham-se com muita facilidade sobre a pele e são rapidamente absorvidos, os quais conferem agradáveis atributos sensoriais ao toque, deixando a pele brilhante, elástica e não gordurosa. Por não ser uma molécula estranha à pele, este ingrediente também se integra rapidamente aos lipídios presentes na epiderme, onde a vitamina E serve de suporte a matriz extracelular do estrato córneo, contribuindo nas defesas antioxidantes. Ainda, de acordo com Maalouf e colaboradores (2002) em “Protective effect of vitamin E on ultraviolet B light-induced damage in keratinocytes”, esta vitamina age topicamente protegendo a pele contra os danos da luz UVB, conferindo FPS 3 à pele após algumas aplicações. Aliás, neste sentido, vale destacar que os produtos que contêm – na mesma formulação – as vitaminas C e E demonstram ser ótimos fotoprotetores, afinal, a vitamina C é capaz de regenerar a vitamina E oxidada. Neste aspecto, a oxidação de alguns análogos (sintéticos) da vitamina E ocorre após a exposição deste ingrediente à condições atmosféricas desfavoráveis ou à luz, razão pela qual produtos que contém esta vitamina devem ser acondicionados em frascos especiais, como os do tipo âmbar. Nos cosméticos multifuncionais, a % de vitamina E recomendada depende do tipo/local de aplicação, a qual varia entre 0,5 e 5% – a qual atua como agente anti-inflamatório, antioxidante, cicatrizante, umectante e fotoprotetor.

Abaixo uma dica de formulação rejuvenescedora com óleo de amêndoas doce:

– 30 mL de óleo vegetal de amêndoas doce;
– 5 gotas de óleo essencial de lavanda;
– 1 gota de óleo essencial de gerânio;
– 1 gota de óleo essencial de rosa.
Passar nos locais de interesse 1 vez por dia, de preferência a noite antes de dormir.

Comprar Óleos Vegetais (Carreadores)

Óleo Vegetal de Amêndoas Doce

Deixe um comentário

Curso de Aromaterapia

Aprenda a como utilizar toda a energia dos Óleos Essenciais ao seu favor.

img-aromaterapia
error: Conteúdo protegido!