Notas e Famílias Olfativas

Notas e Famílias Olfativas

 

Tecnicamente, um perfume representa uma mistura de substâncias, sejam elas naturais ou sintéticas, diluídas em álcool. A arte da perfumaria pode ser comparada à arte da música, que recebe em sua classificação nomenclaturas da musicalidade. Na perfumaria moderna, cada fragrância (óleo essencial, por exemplo) passa a ser classificada de acordo com a sua “nota” e, suas misturas, recebem o nome de “harmonia”. Com isso, cada perfume tem uma sinfonia aromática que segue um ritmo olfativo, com elementos em equilíbrio e combinados entre si. A diferença da música com a perfumaria, entretanto, está na representação de suas notas. Enquanto a primeira é expressada graficamente com símbolos, a segunda é sentida através do ar pelas notas de saída (altas), de corpo (médias) e de fundo (básicas).

 
(*) o homem é capaz de reconhecer mais de 10 mil odores diferentes e este reconhecimento está intimamente ligado às suas experiências de vida, que ficam arquivadas na memória. Somos capazes, por exemplo, de sentir o aroma de uma flor e associá-lo, automaticamente, à momentos bons ou ruins que tenhamos vivido.
 

Famílias Olfativas

 

Embora a definição de um perfume possa ser individual, ou seja, cada pessoa tem seu conceito particular do que é doce, amargo, fresco, amadeirado, floral, verde, cítrico, existem normas internacionais que tem como função analisar os perfumes tecnicamente e classificá-los em famílias olfativas. Cada família olfativa é composta de certas características comuns e também apresenta subclasses que obedecem a genealogia. Esta classificação é feita pelos principais produtores de essências, como IFF, Givaudan, Firmenich, Robertet e Takasago, e levam em consideração as particularidades de cada região.

Algumas famílias:

FEMININAS

Floral Simples

Este grupo contém uma grande quantidade de perfumes femininos. Alguns apresentam odores genuinamente florais, embora haja também aqueles que lembram certas regiões específicas ou localidades em certa estação anual. Esta família tem as seguintes sub-famílias: rosa, branco e verde.

Floral Rosa

As principais criações são baseadas na rosa, uma das mais antigas composições. Os perfumes são construídos sobre a temática de uma única flor, que remete o consumidor a suavidade e a maciez.

Floral Branco

São flores de tonalidade mais pesada e suas notas remetem a sensualidade e a agressividade, com um leve toque animalizado e de longa persistência. Não apropriada para crianças, tem-se como exemplo o jasmim, tuberosa, ilangue-ilangue e flor de laranjeira.

Floral Verde

Esta família apresenta flores leves e transparentes, tais como o lírio-do-vale e lilás. Trata-se de uma mistura harmonizada da composição floral com o odor marcante verde.

Floral Frutal

Sua produção é recente, só a partir da década de 70. Esta família é composta por ingredientes frutais radiantes ou nuances marinhos, que se combinam com flores frescas. Possui temas em sua utilização como cassis, abacaxi, damasco, pêssego e maça.

Floral Bouquet

Onde se tem a combinação de várias flores, basicamente a rosa, muguet e jasmim com acordes amadeirados.

Chipre

A nomenclatura da classe é oriunda de um perfume de nome Chypre, em homenagem à ilha grega de mesmo nome. O prestígio que esta fragrância recebeu foi capaz de criar um novo grupo olfativo que então ficou com a mesma denominação de seu primeiro perfume. É composta de notas cítricas de bergamota com musgo de carvalho, patchouli e/ou outras madeiras nobres.

Oriental

Com seus aromas almiscarados e especiados, os perfumes desta família tem seus antecessores no Oriente e foram difundidos por todo o mundo devido sua excentricidade. São considerados ricos, quentes e remetem à sensações de voluptuosidade e exotismo.

Edible ou Gourmand

Presença predominante de notas “comestíveis” que lembram doces, frutas vermelhas e chocolate, associados com madeiras quentes.

MASCULINAS

Fougère

É a combinação de lavanda com notas de musgo de carvalho, remetendo ao aroma da relva. O nome da família é originado também pelo nascimento do perfume que originalmente levou a denominação fougère.

Fougère Clássico

Neste grupo, existe uma predominância da lavanda fresca sobre as variedades das notas de fougère.

Fougère Oriental

Leva um sutil toque oriental, que agrada largamente os americanos. Fundo persistente, porém ainda conservando a particularidade de leveza.

Oriental

A apreciação de características orientais nos perfumes masculinos ainda é moderna. As notas especiadas podem ser doces, simbolizando efeitos notáveis, ou fortes, para causar impacto.

Edible ou Gourmand

Segue a mesma tendência da família feminina, nas quais as notas são “gourmand”, lembrando doces, frutas vermelhas ou chocolates associados a notas amadeiradas quentes.

Deixe um comentário

error: Content is protected !!