Perfumes – Notas Mentoladas, com Mentol

Notas Mentoladas, com Mentol

 

O mentol (menthol), CAS Number 2216-51-5, é um álcool cíclico monoterpênico constituído de três carbonos assimétricos, C1, C3 e C4. De fórmula molecular C10H20O, é um composto sólido a temperatura ambiente que ocorre naturalmente em várias espécies de hortelã, como Mentha arvensis e Mentha canadensis. Foi isolado pela primeira vez em 1771, pelo botânico holandês Gambius, e, a partir de 1973, também passou a ser sinteticamente produzido. Conhecido por cânfora de hortelã, o mentol responde por cerca de 90% da composição do óleo essencial de Mentha arvensis, cujo Brasil já foi o maior produtor mundial. Deste óleo, ele é obtido por um processo de aquecimento, filtragem, desidratação e congelamento, o qual, além da sua obtenção (precipitação), ocorre ainda a formação de um subproduto, o óleo de menta desmentolado, também de grande importância para a indústria. Já por síntese, pode-se obtê-lo por várias rotas, a exemplo do processo empregado pela Haarmann & Reimer, que obtém mentol a partir do meta-cresol, que é alquilado a timol e posteriormente hidrogenado a hexahidrotimol, onde o mentol racêmico acaba sendo separado dos outros isômeros por destilação fracionada.

Juntamente com a cânfora, o mentol é muito utilizado em indústrias farmacêuticas e cosméticas. Devido à seus atributos, tais como refrescância e suavidade, o mentol é aplicado em diversas formulações de perfumes e cosméticos. Em loções hidratantes, este álcool alivia a pele de irritações, ajudando no relaxamento quando presente em produtos para os pés. Já em alguns fármacos, o mentol funciona como anestésico local. Para a perfumaria, pertence à família olfativa das notas mentoladas e está presente na composição dos seguintes perfumes: Eau d’Orange Verte (1979), de Hermès, Lacoste pour Homme (1984), de Lacoste, New West For Her (1990), de Aramis, Antonio (2007), de Antonio Banderas, Armani Code Sport (2011), de Armani entre outros.

Eau d’Orange Verte (1979), de Hermès

 

Concebido para todas as idades e todos os gêneros, Eau d’Orange Verte refresca e proporciona bem-estar e alegria de viver. Sem bergamota, ele pode ser usado no verão em exposição ao sol sem risco de fotossensibilização. Uma colônia tônica e cintilante imitando uma grande cesta de cítricos na qual se encontra a laranja sob todas as suas formas (folhas, frutos, flores), o frescor estimulante do limão, a vivacidade da tangerina. Uma fragrância mentolada e frutal acentua o seu lado ácido. No fundo, o patchouli e o musgo de carvalho sustêm essas notas leves e reforçam a personalidade do perfume.

Lacoste pour Homme (1984), de Lacoste

 

Lacoste pour Homme é destinado aos esportistas, aos homens com um espírito competitivo. Ele veicula uma imagem elegante, discreta e clássica que é transmitida de geração em geração. Um perfume com uma impressão final de notas cítricas muito frescas e cintilantes de bergamota e limão, combinadas com a lavanda e o mentol. Um coração aromático, sutil e picante com o gerânio de Bourbon e o cravo da índia. A impressão é discreta com as notas amadeiradas e secas: musgo vegetal, vetiver, patchouli, almíscar, cumarina e sândalo.

New West For Her (1990), de Aramis

 

Trata-se de um perfume acompanhado por frutos aquosos como o melão e a melancia e com um toque de nota de “ostra”. As notas verdes de gálbano, jacinto, flor de lis e menta amplificam o frescor do mar. No fundo, a modernidade da nota marinha continua, associada ao amadeirado do cedro e do almíscar. Para os connaisseurs, New West For Her é o primeiro perfume autenticamente marinho.

Armani Code Sport (2011), de Armani

 

Armani Code Sport revela inicialmente três tipos de mentas associadas com as notas cintilantes da tangerina. O coração da fragrância revela uma concentração de 5 % de âmbar, matéria-prima com notas almiscaradas e de amber gris. O fundo revela notas de vetiver, de gengibre e de invernal, uma molécula com notas frias. Perfumista: Jacques Cavallier.

Deixe um comentário